Como dizer não?!


As vezes estou lavando a louça ou fazendo almoço, e o Enzo esta em roda de mim , mexendo na louça,ou no fogão eu digo ( sai dai filho) ele não sai, continua a teimar, torno a repetir ( filho não teima , sai dai..).
Ele da risada e não sai!! paro , seguro e digo a ele , vai faze dodoi em ti, ele sai brinca um pouco e retorna..
Me asseguro muito para não ser agressiva, mas tem horas que me questiono se esqueci de fabricar as orelhas dele (risos).
E la vaii mais uma dica de um site maravilhoso super recomendo para vocês lerem !!


Explique o motivo do não, para que seu filho entenda as regras valorizadas em casa:

"Sabe qual é a maneira mais certa de deixar seu filho infeliz? Acostumá-lo a recebertudo." Essa frase foi escrita pelo filósofo Jean-Jacques Rousseau, no livro "Emílio ou Da Educação", em 1762. E não é que continua valendo hoje? Segundo Rousseau, se você der tudo a uma criança, seus desejos só farão crescer devido à facilidade em satisfazê-los e ela terá de lidar então com sua própria ansiedade, com sua tirania e com a decepção de o pai, em algum momento, parar de atendê-lo, já que satisfazer tudo é impossível. "São sentimentos muito mais difíceis de administrar para uma criança, e que causam mais dor do que simplesmente ter um desejo negado", diz Rousseau.

Ajudar os filhos a lidar com as frustrações e orientá-los sobre o que é razoável ou não os torna mais seguros e flexíveis. As crianças precisam aprender que suas atitudes têm consequências e que elas não podem fazer tudo o que quiserem. "Frustrar determinadas expectativas, dizer não, é ensinar. Essa é uma função paterna e materna, faz parte de educar", diz Magdalena Ramos, terapeuta de casal e família e autora do livro "E Agora o que Fazer? A Difícil Arte de Educar os Filhos", da editora Ágora.

Ultimamente, porém, pronunciar essa palavrinha tão curta parece extremamente difícil. Muitos pais e mães trabalham muito e se sentem culpados e em falta em relação aos filhos... Ou porque lhes dão menos atenção do que gostariam ou porque os vêem por pouco tempo. "Isso provoca um desejo de compensar os filhos fazendo suas vontades e não colocando limites que causariam frustração a todos", diz a psicóloga Rosana Augone. Claro, uma mãe que chega em casa cansada e tem apenas uma hora para dar banho e jantar antes de colocar seu filho na cama, a última coisa que quer é provocar uma briga ou suportar uma birra. Mas evitar um não necessário é daqueles ‘baratos que saem caro’.

O não é sempre uma frustração de uma expectativa ou desejo - e não há como aliviar isso. O que acontece é que são essas frustrações que formam o caráter da criança, ensinando-a a buscar de forma criativa outras maneiras de se sentir satisfeito e percebendo que é possível suportar uma espera ou mesmo a não realização de seu desejo. "Isso torna a criança mais forte para as intempéries que certamente a própria a vida lhe trará", diz Rosana. Dizer não faz parte, e é bom para o seu filho. Então, que tal aprender a fazer isso, sem culpas? Eis algumas orientações para guiar você nesse importante caminho.

Gostou tambem??







também recomendo:

Primeira Infância, Como contribuir com esta importante fase de formação da criança

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...